Durante reunião com dirigentes sindicais no Espírito Santo na última segunda-feira (8), o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), relator da Reforma Trabalhista afirmou que se houver algum tipo de pressão para que o projeto seja votado em regime de urgência ele deixará a relatoria.

Na ocasião o senador afirmou o quanto é importante diálogar, construir e respeitar as divergências e a democracia no processo de tramitação da reforma. O senador garantiu que vai negociar os termos e também garantiu que irá respeitar o artigo 7º da Constituição Federal (São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social).

Os sindicalistas apontaram alguns pontos da reforma que enfraquecem as entidades sindicais como: a não representação dos sindicatos nas negociações, indeferir as homologações nos sindicatos e a criação de comissão direta entre trabalhador e patrão, sem a representação da entidade de classe do trabalhador.

Para Alexandro Martins “a unicidade do movimento sindical neste momento crucial é de extrema importância. O conceito de reforma que entendo é para melhorar, progredir e evoluir. Esta proposta do governo é um retrocesso, retira direitos e precarizará as relações entre o trabalhador e padrão. Não podemos aceitar essa injustiça’’, concluí o presidente da Força Espírito Santo.

Participaram da reunião Alexandro Martins, presidente da Força Sindical-ES; Rogério Fernandes, presidente da Feessemg e Vandeir Messias, presidente da Força Sindical-MG.

Veja os vídeos

Clique aqui para baixar e assistir ao vídeo 1

Clique aqui para baixar e assistir ao vídeo 2