A reforma trabalhista saiu ao feitio do capitalismo mais selvagem, com redução de direitos e estabelecimento definitivo da precarização do trabalho. Com bom mordomo deste filme terror, o presidente Michel Temer serve o trabalho de bandeja aos patrões, com o detalhe de, ainda, acender o tradicional charuto dos ricaços com a queima da carteira de trabalho e a segurança representada pela CLT. É assim, ao menos, que o nosso Gilmar vê a cena.